Editorial: Para onde irá o mundo?

Por Nelson Palma

Editorial – Edição 213, Janeiro de 2016

“A cada momento que passa cria-se um novo invento que reduz um número enorme de empregos e cria-se um cargo técnico para apertar botões. Reduz-se o custo, aumenta-se a produtividade e concentra-se a renda. Até onde isto será possível?”

A tecnologia poderá ser o grande desastre da humanidade. Ela aumente a produtividade em grande escala e obriga um proporcional aumento do consumo para se sustentar. O aumento do consumo depende de que o consumista trabalhe e tenha dinheiro para consumir, o que se torna cada dia mais difícil pela enorme multidão de desempregados criada pelo automação da produção. Isto é completamente insustentável e o mundo está sujeito a severas mudanças. Pior de tudo, impostas pelo interesse do estado.

Há poucos anos escrevi uma matéria sobre esse tema, denominada “O Vinte Vinte” que seria o ano de 2020. Confesso que agradou a poucos. Não agradou aos anseios do consumismo. Mas a cada dia que passa vejo que se torna maior realidade. A matéria era representada por uma pirâmide, cujo vértice deteria todos os poderes (econômico, bélico, político, religioso, enfim todos). Um governo autocrático duro. A seguir ao vértice, uma parte da pirâmide que tem direito ao trabalho sem poder manifestar-se em nada. Ficar calado é seu direito. A grande base da pirâmide seria composta pelos sem nada. A grande massa sustentada pelo governo, teria direito à moradia, alimentação, ler a Bíblia ou Al Corão, conforme sua religião e acreditar que o reino do céu seria a recompensa. Quem não concordasse seria eliminado.

Você deve estar me achando louco, não é? Em parte eu concordo, mas veja porque este pensamento se reforça. Trump no poder da maior potência do mundo, Marine Le Pen, na França, Putin na Rússia,  Presidente Xi Jinping, o primeiro-ministro Li Keqiang, na China, entre outros. Este grupo pode nos dar esperança de um mundo equilibrado? Ou será o próprio Vinte Vinte.

O menor caminho para este grupo é dizer: a lei sou eu e quem não concordar partirá prematuramente. Tudo nos mostra que o mundo como está não se sustentará e o caminho de retorno parece estar obstruído.

Pense nisso, arranje soluções, mande-as para o jornal que as publicamos. Não se contente em discordar apenas, apresente soluções para um planeta com quase oito bilhões de habitantes…e poucos contentes! A pirâmide antrópica do planeta já está próxima.

Leia a edição completa em:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *